16 de maio de 2018 às 04:00

Carinha de top: Moto G6 Plus evolui bastante e ganha na bateria

Quem é fã dos celulares da Motorola já deve ter visto o último lançamento da família mais querida da marca no Brasil, o Moto G6 Plus.

Quem é fã dos celulares da Motorola já deve ter visto o último lançamento da família mais querida da marca no Brasil, o Moto G6 Plus.

O lançamento mundial do modelo aconteceu aqui no Brasil há cerca de um mês. Durante as nossas primeiras impressões, pareceu que a Motorola quis tornar o queridinho da marca um modelo mais "adulto", com sua tela maior, design mais elegante e câmeras turbinadas.

Pudemos testar o aparelho mais de perto e durante pouco mais de uma semana o que dá para constatar é: minha gente, que bateria!

Veja também

Em comparação com o Moto G5 Plus, o lançamento ganhou uma tela um pouco maior, indo de 5,2 para 5,9 polegadas.

O tamanho é ótimo para ver filmes, séries e TV. Sim, assim como sua versão anterior, o modelo também vem com TV Digital e ganha pontos aí relacionados a recursos de entretenimento.

Quem tem mãos pequenas talvez tenha dificuldades para usar o aparelho com apenas uma das mãos com esse tamanho todo. Mas isso varia conforme o gosto de cada um. 

Quanto ao corpo do celular, adeus ao plástico e metal. Agora ele tem uma traseira de vidro, o que dá um visual muito mais moderno. Uma firula no corpo do aparelho é que ele tem um acabamento que a marca chama de 3D, dando uma ilusão de curvas na parte de trás.

Ele é bonito, elegante, mas por outro lado é um pouco escorregadio. Ele caiu duas vezes no chão e não quebrou e nem teve rachaduras, mas não me sinto tão segura quanto a isso. Então, recomendo usar uma capinha e uma película protetora.

Todo muito odeia celular travando, né? A boa notícia é que o Moto G6 Plus se saiu muito bem. Rodamos jogos leves e pesados, testamos com vídeos, e nada de travadas.

O modelo recebeu um upgrade em seu processador em relação ao Moto G5 Plus com o Snapdragon 630 com oito núcleos, o mesmo usado em uma das versões do Zenfone 4 (a partir de R$ 1.699*) e do modelo Xperia XA2 Ultra (a partir de R$ 2.159,99*).

No teste que mede a agilidade e eficiência do processador (aplicativo Greekbench 4), o Moto G6 Plus registrou 4.168 pontos quando considerado o desempenho de todos os núcleos (multi-core) e 866 calculando o desempenho médio de cada um (single-core). O Moto G5 Plus conseguiu, respectivamente, 3.847 e 805 pontos.

O concorrente Xperia XA2 Ultra obteve 4.141 pontos no multi-core e 846 no single-core.

Nos mesmos quesitos, o Moto X4, registrou 4.131 e 872, respectivamente. 

E se você quer bateria, terá bateria. A fabricante conseguiu encontrar um equilíbrio interessante entre processamento, consumo de tela e potência da bateria.

Fizemos vários testes e ela durou bastante para um modelo intermediário com seus 3.200 mAh.

Em um dos testes, deixei rodando em uma manhã 6h de vídeo direto conectado no wi-fi e ela foi de 100% até 52%. Achei que depois disso a queda seria mais rápida, mas fui surpreendida.

Mesmo usando redes sociais, tirando foto, fazendo vídeo e navegando na internet, a bateria só foi acabar mesmo perto das 11h do outro dia.

O que dá para ver depois disso é que se você tem um uso mais básico do celular, ele vai conseguir ficar longe da tomada por mais de um dia e meio completo.

O Moto G6 Plus vem com uma câmera traseira dupla de 12 MP e 5 MP. Com ela dá para fazer fotos com aquele efeito borrado, trocar o fundo da imagem, deixar preto e branco.

Os recursos são divertidos, mas não espere o mesmo desempenho de um top de linha, já que estamos falando de um celular intermediário. Mesmo assim, dá para se divertir fotografando.  

UOL >

As imagens ficam na média para a categoria, mas vez ou outra elas têm oscilações no foco.

UOL >

UOL >

A grande sacada da Motorola é o reconhecimento de objetos e locais turísticos. Você aponta o celular para um objeto e o sistema do celular exibe informações sobre ele.

Infelizmente, o recurso não funciona tão bem quando promete, às vezes é preciso insistir mais de uma vez. Mas quando dá certo é bem divertido. Quem sabe nos próximos lançamentos ele não funcione melhor?

A câmera de selfie tem 8 MP e é melhor do que os 5 MP do Moto G5 Plus. Em lugares com boa iluminação, elas ficam legais. Já em locais mais escuros, se prepare para algumas fotos desfocadas. Outra parte ruim é que as fotos demoram um pouco para serem processadas.

UOL >

UOL >

Pela sua faixa de preço, o Moto G6 Plus entra dentro da categoria de smartphones intermediários. Mas com certeza tem se mostra um modelo maduro para enfrentar a alta concorrência na categoria.

É um celular bonito, bom para quem gosta de telas grandes e tem configurações interessantes, mas o preço desanima um pouco. No site da Motorola você encontra por R$ 1.699.

Por um pouco menos, você consegue comprar o Moto X4 (a partir de R$ 1.089*), que foi lançado no final do ano passado e tem as configurações bem parecidas com o modelo.

E fica aqui uma dica: os preços costumam baixar com o passar do tempo. Então, se puder esperar alguns meses para comprar o seu Moto G6 Plus, espere. 

Se quiser saber mais sobre outros modelos de celular, confira os testes completos feitos por nossa equipe. 

Tela: 5,9 polegadas Full HD+
Sistema Operacional: Android 8.0
Processador: Snapdragon 630 de 2,2 GHz
Memória: 64 GB de armazenamento e 4 GB de RAM
Câmeras: 12 MP + 5 MP (principal) e 8 MP (frontal)
Bateria: 3.200 mAh
Pontos positivos: bateria, desempenho, reconhecimento de objetos e pontos turísticos
Pontos negativos: câmera frontal apenas mediana, reconhecimento de objetos e pontos turísticos
Preço: R$ 1.699

*Valores consultados em 15 de maio de 2018

Fonte: UOL

comentários

Estúdio Ao Vivo