13 de junho de 2018 às 13:02

Família acusa hospital de trocar corpo de idoso no DF

A Polícia Civil do Distrito Federal apura uma denúncia de negligência na liberação do corpo de um idoso que morreu no Hospital São Mateus na última sexta-feira (8). O cadáver de Pedro Gabriel de Albu...

Crédito:Arquivo pessoal

Arquivo pessoal

Pedro Gabriel de Albuquerque morreu aos 80 anos por complicações de uma pneumonia

A Polícia Civil do Distrito Federal apura uma denúncia de negligência na liberação do corpo de um idoso que morreu no Hospital São Mateus na última sexta-feira (8). O cadáver de Pedro Gabriel de Albuquerque, de 80 anos, que morreu após 20 dias de internação por conta de complicações de uma pneumonia, foi liberado por engano e levado pela funerária contratada pela família de um outro idoso que também faleceu na unidade médica. 

Os familiares do outro homem não perceberam a confusão da instituição de saúde, e o equívoco só foi notado pela família de Albuquerque no domingo (10).

Segundo a filha de Pedro Albuquerque, Hagda Daiany Rosa de Albuquerque, de 40 anos, os funcionários teriam confundido as gavetas. "Ele morreu às 23h15 de sexta. Na madrugada de sábado eu já desci ao necrotério do hospital para ver o corpo do meu pai, que estava na primeira gaveta", contou Hagda ao UOL.

Leia mais:

No domingo, quando ela voltou ao local com a funerária para liberar o corpo para cremação, o atendente teria dito que o corpo estava no segundo compartimento. "Quando abriram a gaveta, tinha um outro homem no lugar. E a primeira gaveta, onde meu pai estava antes, estava vazia", disse, indignada.

Assim que percebeu a confusão, Hagda conta que ficou desesperada e que o funcionário do hospital não soube dizer onde estava o pai dela. "Eu mesma liguei para a outra família para corrigir a situação. A neta do outro homem atendeu e disse que não tinha percebido nada. Ela tinha até beijado a testa do meu pai, pensando que era seu avô, quando fez o reconhecimento", comentou.

Após o engano, o hospital entrou em contato com a funerária responsável, que fez a troca dos corpos quatro horas após a liberação e a cremação ocorreu na tarde desta segunda-feira (11).

A família de Albuquerque vai processar o hospital por negligência. "É revoltante. Um descaso total. Além de todo o nosso sofrimento com a morte ainda tivemos que passar por tudo isso e até agora não houve nenhum pedido de desculpa por parte do hospital", lamentou.

O caso está sendo investigado pela 5ª Delegacia de Polícia. O UOL tentou contato com o delegado responsável, mas não teve retorno. 

A reportagem também entrou em contato com o Hospital São Mateus, mas ninguém quis comentar o fato.

Fonte: UOL

comentários

Estúdio Ao Vivo